Poema da semana: “País de mim”, de Eduardo White

País de mim

O peso da vida!
Gostava de senti-lo à tua maneira
e ouvi-la crescer dentro de mim,
em carne viva,

não queria somente
rasgar-te a ferida,
não queria apenas esta vocação paciente
do lavrador,
mas, também, a da terra
e que é a tua

Assume o amor como um ofício
onde tens que te esmerar,

repete-o até à perfeição,
repete-o quantas vezes for preciso
até dentro dele tudo durar
e ter sentido

Deixa nele crescer o sol
até tarde,
deixa-o ser a asa da imaginação,
a casa da concórdia,

só nunca deixes que sobre
para não ser memória.

 Autor: Eduardo White

Leitura: Carla Fernandes

Áudio 20 – Estórias da história do corpo negro

Hoje vamos discutir a frase: “Precisa-se dar corpo ao que é do corpo, que é a essência do humano, e esta essência encontra-se nas trocas.” O convidado da AfroLis é Jonas de Lima Sales, professor do Departamento de Artes e Ciências da Universidade de Brasília, que está em Lisboa a fazer um doutoramento na área das artes contemporâneas. A sua especialidade: danças tradicionais e a busca de uma africanidade no movimento do corpo.

 

Áudio 19 -“O mundo é teu”, lembram os irmãos Pharaysizz

Os irmãos Álvaro Tavares Guilherme e Zé Tavares Guilherme são donos e designers da marca Pharaysizz. De origem angolana, vieram para Portugal no inicio da infância mas vivem a vida seguindo o lema que também é o lema da marca Pharaysizz “o mundo é teu”. Desde peças de roupa e paredes, seja o que for,  eles estão prontos a transformar em arte. Têm talentos e não só querem mostrá-los ao mundo, como também querem ensinar outros a trabalharem com os seus próprios talentos. Um pouco como fazem na sua relação de irmãos – querem dar e receber inspiração.

 

Áudio 18 – Elsa Noronha “apresenta-se à lua” após 80 anos

Elsa Noronha, a dizedora de poesia de origem moçambicana, celebra os seus 80 anos no dia 22 de Agosto de 2014, pelas 21:30, na Livraria Ler Devagar. É uma celebração muito especial para Elsa e, por isso, quer partilhá-lo com todos os amantes de poesia como ela própria No programa de hoje vamos também ter acesso a memórias e aspirações desta dizedora de poesia afrolisboeta.

  • Inscrição para o aniversário de Elsa Noronha – ligar para 919949333 até ao dia 18 de Agosto.

 

Áudio 17 – “Há palavras que nasceram para a porrada”

 

Boaventura de Sousa Santos, sociólogo e diretor do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra é o nosso convidado.  “Há palavras que nasceram para a porrada” é um projeto que junta a academia ao rap, ou seja, uma convergência pouco convencional de formas de conhecimento. Chullage (Nuno Santos), Hezbollah (Jakilson Pereira), LBC (Flávio Almada) e Capicua (Ana Fernandes) são os rappers. ou cantautores, do projeto aqui apresentado pelo sociólogo Boaventura de Sousa Santos.

“Há palavras que nasceram para a porrada”, Coimbra, 13 de julho 2014

O concerto aconteceu no âmbito do colóquio internacional “Epistemologias do Sul: Aprendizagens globais Sul-Sul, Sul-Norte e Norte-Sul”, organizado pelo projeto ALICE, e foi integrado no programa das Festas da Cidade de Coimbra, organizado pela Câmara Municipal de Coimbra.