Áudio 2 – Elsa Noronha, a dizedora de poesia

Elsa Noronha

Elsa de Noronha [foto: Poetas Sem Rede]

Elsa Noronha é moçambicana, dizedora de poesia e veio pela primeira vez para Lisboa na década de 1950. Estudou contabilidade em Lisboa e regressou ao seu país de origem, onde ficou alguns anos após o povo moçambicano ter-se libertado da colonização portuguesa. Regressou a Lisboa em 1977 e começou a dizer poesia em escolas e depois em bares. Desde então dá a conhecer poetas moçambicanos, portugueses e não só, um pouco por toda a cidade de Lisboa. Vamos conhecer a história desta afrolisboeta!

Anúncios

Poema da semana

José Craveirinha (1922-2003)

Quero ser Tambor

Tambor está velho de gritar
Oh velho Deus dos homens
deixa-me ser tambor
corpo e alma só tambor
só tambor gritando na noite quente dos trópicos.
Nem flor nascida no mato do desespero
Nem rio correndo para o mar do desespero
Nem zagaia temperada no lume vivo do desespero
Nem mesmo poesia forjada na dor rubra do desespero.
Nem nada!
Só tambor velho de gritar na lua cheia da minha terra
Só tambor de pele curtida ao sol da minha terra
Só tambor cavado nos troncos duros da minha terra.
Eu
Só tambor rebentando o silêncio amargo da Mafalala
Só tambor velho de sentar no batuque da minha terra
Só tambor perdido na escuridão da noite perdida.
Oh velho Deus dos homens
eu quero ser tambor
e nem rio
e nem flor
e nem zagaia por enquanto
e nem mesmo poesia.
Só tambor ecoando como a canção da força e da vida
Só tambor noite e dia
dia e noite só tambor
até à consumação da grande festa do batuque!
Oh velho Deus dos homens
deixa-me ser tambor
só tambor!

 

Áudio 1 – Media e estereótipos raciais

Elisabete Cátia Suzana

Elisabete Cátia Suzana

Os media contribuem tanto para a construção como para a desconstrução de estereótipos raciais. Esta é a conclusão a que especialistas na área de estudos de raça como Grada Kilomba da Universidade de Humboldt (Berlim/Alemanha) e Elisabete Cátia Suzana da Universidade de Uppsala (Suécia) chegaram. Ambas são afrodescendentes nascidas em Lisboa. Neste primeiro programa vamos ouvir a tradução de uma entrevista de Grada Kilomba e os comentários de Elisabete Cátia Suzana, insvestigadora na área de estudos de religião e branquitude sobre o papel dos media, dos negros e dos brancos na luta contra o racismo.  Acompanhem-nos!