Áudio 16 – Educação para a diversidade

Que desafios enfrentam os pais ao educar uma criança negra na Europa? Elisabete Cátia Suzana, investigadora na área de estudos de religião e branquitude, na Universidade de Uppsala (Suécia),  fala sobre o papel de produtos culturais para crianças na educação para a diversidade. Segundo Elisabete Cátia Suzana, nenhuma criança está livre da exposição a conteúdos que limitam a sua sensibilidade para a diversidade cultural.

Sugestão para ver

LIKETERRA

Indo ao encontro da divulgação do trabalho do Teatro do Oprimido, [Ouvir Áudio 15 – “Não portugueses” expressam-se através do teatro] sugerimos o documetário Li Ké Terra (A Nossa Terra).

Este documentário foi realizado em 2010 por Filipa Reis, João Miller Guerra e Nuno Baptista, produzido pela Vende-se Filmes e Pedro&Branco, espelha as dificuldades de dois jovens Miguel Moreira e Ruben Furtado em adquirirem a cidadania portuguesa.
A identidade, um muro que bloqueia muitas vidas e sonhos.
Como é que podemos olhar para a frente quando vemos a nossa vida parada por um conjunto de papéis e burocracias?
Um cartão de cidadão dá-nos a liberdade necessária para abrir uma janela, quando antes sem ele tinhamos todas as saídas
vedadas.
E até que ponto este muro nos forma e transforma como indíviduos – excluídos, ignorados, bloqueados.
Seres não visíveis – apátridas, que deambulam pelas ruas, escolas que procuram uma afirmação – um cartão de cidadão.

Ver Filme

 

Sugestão de Ana Manhique

20140518-_MG_0072

 

Áudio 15 – “Não portugueses” expressam-se através do teatro

Sabiam que nem toda a gente que nasceu, cresceu e que só viveu em Portugal é português? Pois bem, a nossa convidada de hoje  Anabela Rodrigues, jurista e ativista social,  fala-nos precisamente sobre este tema. O grupo de Teatro Fórum  DRK (Doutores da Rua mensageiros de Arte) lançou uma petição online e em papel, para uma transformação social.  Durante 2013, fizeram sessões de sensibilização para ouvir propostas de ação e de uma mudança de lei através da Arte (Teatro Fórum e Legislativo). A reivindicação é simples: Nasceram em território nacional, por isso querem ter direitos plenos como todos os cidadãos ou cidadãs com nacionalidade portuguesa! Mas vamos ouvir os detalhes com Anabela Rodrigues.

 

Programa especial Mandela Day com Carlos Barreto no Intendente

O Mandela Day foi instituído pela ONU em 2009 para assinalar, o aniversário de Nelson Mandela, ex-presidente sul-africano, figura de grande importância para a história africana e mundial. A data de 18 de julho de 2014 vai ser mais simbólica ainda porque será a primeira celebração do Mandela Day sem Madiba, que completaria 95 anos. Na AfroLis Carlos Barreto, conceituado músico português do jazz, apresenta a celebração do Mandela Day no Bairro do Intendente.

 

IMG_7305_MG_7256

Poema da semana: “Africana”, de Sónia Sultuane

Africana

dizes que me querias sentir africana,
dizes e pensas que não o sou,
só porque não uso capulana,
porque não falo changana,
porque não uso missiri nem missangas,
deixa-me rir…
mas quem é que te disse?!
Só porque ando de “Levis, Gucci ou Diesel”,
não o sou… será?
Será que o meu sentir passa pela indumentária?
Ou que o serei
pelo sangue que me corre nas veias,
negro, árabe, indiano,
essa mistura exótica,
que me faz filha de um continente em tantos
onde todos se misturam,
e que me trazem esta profundidade,
mais forte que a indumentária ou a fala,
e sabes porquê?
Porque visto, falo, respiro, sinto e cheiro a África,
afinal o que é que tu saberás? O que é que tu sabes?
Deixa-me rir…
deixa-me rir…

Áudio 14 – A escritora moçambicana, Sónia Sultuane, “não seria quem é sem a arte”

Desta vez  a AfroLis tem uma visitante, a escritora e artista plástica moçambicana Sónia Sultuane. A artista não vive em Lisboa mas esteve na capital portuguesa para receber um prémio muito especial no VII Encontro de Escritores Moçambicanos que se realizou aqui em Lisboa no mês de junho.  Delmar Gonçalves, Presidente do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora, poeta e Curador dos Encontros de Escritores Moçambicanos na Diáspora.

 

 

 

 

E por aí andamos… Primeira Edição da Mostra de Artes Afrikanas

Este sábado (05.07.14) a AfroLis foi para a rua ver por onde andam os afrodescendentes. Parámos no Largo do Intendente e visitámos a primeira edição da Mostra de Artes Afrikanas que a Mella Center, em parceria com o LARGO Residências, organizou no âmbito do Bairro Intendente em Festa. Sondámos alguns artistas que expuseram os seus produtos em ambiente de festa…

Fotos: Herberto Smith

Áudios: Carla Fernandes

 

Teresa levou produtos das suas duas marcas: Samissone e Calimerosami

 

Neide e a mãe apresentaram artigos da marca NóNó Moda, alta costura africana!

 

Lady G Brown é Dj e deu música aos visitantes da feira e vendeu sabores africanos!

 

Dijah levou luz ao Intendente com os seus candeeiros artesanais!