Afrolis – Associação Cultural apresenta Ciclo de Cinema: África Positiva

CARTAZ _AFRICA POSITIVA_V02-page-001A Afrolis – Associação Cultural, apresenta 4 dos documentários produzidos para a série Nova África da produtora brasileira CineGroup no Ciclo de Cinema África Positiva. Durante o mês de fevereiro, todas as quartas-feiras, a partir das 19h, na Casa do Brasil juntamo-nos para ver documentários sobre África, que serão seguidos de uma conversa com convidados para falar sobre as temáticas abordadas, petiscos e convívio. A entrada é gratuita!

Este Ciclo de Cinema Documental tem também como objetivo dar a conhecer a Afrolis – Associação Cultural, que procura contribuir para a divulgação de culturas afrodescendentes contribuindo para o seu reconhecimento e desenvolvimento, tendo como área de atuação a cidade de Lisboa.

 

 

Sinopses

 1) Nova África – Mulher: Mãe da paz e da evolução (3 Fev, 2016)

O primeiro documentário da série Nova África mostra que, apesar de todas as adversidades, a mulher africana está a obter reconhecimento mundial por seu ativismo e liderança. A viagem começa na Guiné Bissau, com a visita a um arquipélago habitado por uma sociedade matriarcal mantida ao longo de gerações pela etnia Bijagó. No Quénia, onde conhecemos Wangari Maathai, ativista reconhecida internacionalmente pela sua luta pela democracia no país, vencedora do prémio Nobel da Paz, em 2004. E ainda no Quénia, destaca-se a apresentadora de televisão considerada uma das 40 celebridades mais poderosas da África pela revista Forbes, Patricia Amira. O último destino é a Libéria onde Leymah Gbowee, por meio de um movimento pacífico, contribuiu para o fim da segunda guerra civil liberiana.

Duração: 26 ’04

 

2)Nova África – Heróis das independências Africanas (10 Fev, 2016)

O Nova África dessa semana mostra a história de líderes africanos que motivaram multidões e contribuíram na expulsão de colonizadores e na construção de uma identidade própria. O destino inicial do programa é Gana, o primeiro país do continente a se libertar de seus colonizadores em 1957.O programa conta a história do líder ganense e considerado por muitos como o responsável pela independência da nação: Kwane Nkrumah, um libertador que sonhou com a união dos povos africanos. No Senegal conhecemos a história do poeta que possibilitou a independência e governou durante 20 anos o seu país: Leopold Senghor, primeiro africano a entrar para a Academia Francesa de Letras e um dos fundadores do movimento da consciência negra mundialmente conhecido, La Negritude. Não se podía deixar de falar de um herói responsável pela libertação colonial de dois países: Amilcar Cabral. Defensor da independência de Cabo Verde e Guiné Bissau, e grande conhecedor do sofrimento de seus povos, Cabral dedicou a sua vida na luta contra os invasores europeus.

Duração: 26 ’03

3)Nova África – Tecnologia para mudar (17 Fev, 2016)

O Nova África desta semana mostra como o continente africano tem buscado novas perspectivas e investido em pesquisas científicas e tecnológicas. Cabo Verde é um exemplo de país que pretende modernizar a sua realidade com um projeto ambicioso: tornar-se uma das primeiras nações do planeta totalmente conectada na internet.

No Quénia apresentamos uma empresa de tecnologia da informação que desenvolve softwares com o objetivo de mudar não só a realidade da África, mas também de outros 132 países. Ainda no Quénia, mostramos o principal sistema de pagamento eletrônico, o M-Pesa. A diretora de marketing e desenvolvimento de produtos, Angela Nzioki, explica como funciona essa troca e quais são as vantagens para os quenianos.

No Uganda, ficamos a saber de um sistema de rastreamento de informações de saúde, desenvolvido no país por técnicos locais, o M-trac, que funciona como uma espécie de banco de dados. Este banco de dados regista desde o número de ocorrências de malária, febre amarela e AIDS, até casos de desnutrição.

Duração: 25’47 min

4) Nova África – Nelson Mandela (24 Fev, 2016)

O Nova África conta a história de um dos maiores líderes mundiais de toda a história: Nelson Mandela. Vejam como se deu o início da segregação racial oficial feita na África do Sul e como um partido formado por brancos instituiu leis severas contra a população negra do país. Acompanhem a trajetória desse líder que revolucionou toda uma nação por meio da paz e do diálogo, lutou pelo fim do Apartheid, sistema racista que dividiu a África do Sul em negros e brancos, e viveu duros 27 anos de prisão política.

Duração: 25’23 min

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Afrolis – Associação Cultural apresenta Ciclo de Cinema: África Positiva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s