Nós No Cabelo – Testemunho de Maria Andrade

Esta é a minha história com os meus nós. Já passei por várias fases, já fiz de tudo um pouco para desfazer-me desses nós que pensava existir. Lembro-me bem quando menina a minha mãe nunca me deixava com o cabelo solto, andava sempre de tranças, para ela era normal, porque não tinha outra forma de “domar” aquele volume todo (foto).
Comecei a usar químicos desde muito cedo, aos 13/14 anos. Ao ver as minhas amigas todas desfrisadas, achava que cabelo bonito era cabelo liso, porque crescemos com aquela coisa que SÓ cabelo liso é que é bonito e também porque as pessoas gozavam com o cabelo no seu estado natural, chamando de “cabelo cripi”. Na altura era uma expressão muito usada comparando o cabelo crespo à massa de cimento que colocavam nas paredes das casas por fora, ou seja, um cimento duro e esta foi uma expressão muito forte que marcou muitas de nós na época e deixava- nos com a cara no chão, sentíamos uma enorme agonia por dentro e chegávamos ao ponto de odiar os nossos cabelos. Não fomos educadas/os para nos amarmos e aceitarmos como somos e daí nasciam as diferenças.

Foi a partir desse momento que resolvi desfazer dos nózinhos. Com os famosos químicos eram uma boa solução para ser como as outras, ser mais bem aceite, cabelo solto ao vento, “mais bonita” mas, não tardou muito fiz o meu primeiro big chop aos 20/21 anos (foto) derivado a uma queda de cabelo provocada pelo uso dos químicos, mas ainda assim não aceitava aquele cabelo.

Na altura comecei a gostar dos cachos, mas como achava que não eram tão perfeitos  assim, resolvi usar químicos para ficar com o cabelo mais cacheado, porque só o aceitava se estivesse “bem arrumado”. Não cheguei a dar tempo para ver o meu cabelo como era, 100% natural.

Com 23 anos emigrei e a partir daí encarei com uma outra realidade, encontrava-me na terra da chapinha, mas continuei sempre com os meus cachos e com os famosos químicos sempre comigo e foi então que tive uma segunda queda de cabelo, mas desta vez muito  pior porque tive uma pelada, uma queda de cabelo brusca e o meu couro cabeludo ficava liso, dois buracos na cabeça onde não existia um fio de cabelo. Nesse momento foi um  desespero, mas eis que seguidamente engravidei, o que veio a ser a minha salvação,  porque com as hormonas o cabelo voltou a crescer rápido e foi uma altura bastante boa,  porque durante a gravidez não usei químicos, o meu cabelo estava bonito, brilhoso, bem cacheado.

Após o nascimento do meu filho veio a revolução do alisamento progressivo e ninguém tinha-me visto ainda de cabelo liso porque só usava cabelo cacheado até então. Foi a partir daí que começaram-me a incentivar para alisar o cabelo fazendo progressiva, era uma época em que estava a procura de trabalho, as pessoas com quem me dava diziam que era melhor alisar porque seria mais fácil, ou seja, uma ditadura, uma imposição, era uma forma de conseguir um trabalho (com o cabelo liso), essa é a sociedade onde vivo, onde o preconceito a descriminação racial reina. Derivado a esses fatores resolvi fazer a progressiva, voltei a ter o cabelo liso tendo durado apenas um ano porque para mim não dava mais!, não combina comigo, não era eu.

Voltei a cortar o cabelo de novo e já lá vão 4 anos de muito amor e dedicação, amo a minha coroa de paixão, não quero viver nesse sistema, o meu filho quer deixar crescer o afrozinho e incentivo muito. Já chegou-me a dizer que achava o cabelo liso mais bonito e que não é negro, que é francês! Enfim, é uma longa batalha, porque é a imagem que lhe chega, é a imagem que tem dos desenhos da escola, os coleguinhas tem todos cabelo liso, mas tento explicar-lhe o porquê, é a minha obrigação fazê-lo entender qual é a sua origem e a amar-se acima de tudo.

Já levei pessoas próximas a mim a fazerem Big Chop, que inspiraram-se na minha pessoa e hoje são felizes e acima de tudo livres. Não se deixem prender nesses preconceitos,  amem-se como são sejam vocês mesmas, somos rainhas, somos mulheres de fibra e essa é a nossa força, é ela que nos destaca, é ela que nos representa!

Obs: Esses famosos “NÓS” não existem foram criados para nos manterem prisioneiras, LIBERDADE!!

Anúncios

2 comentários sobre “Nós No Cabelo – Testemunho de Maria Andrade

  1. C’est juste Maria andrade. Grâce à toi que j’ai eu le courage de quitté tout ses produits chimique merci toutes les filles devrait suivre ton exemple. En plus ça te va bien tu est très belle. 😀😘

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s