Áudio 167 – Lugar De Fala E Relações De Poder Com Jota Mombaça (Parte II)

O corpo negro aprendeu a pensar-se como um problema pela hipermacação do processo da racialização. “Na medida em que a gente racializa o branco, a gente desequilibra o branco. E desequilibrar o branco é fazer ele aprender a se pensar como um problema.(…) O branco tem que aprender o que é que significa ser branco no mundo. Não é fixe! Não é moralmente defensável a posição do branco e eles vão ter que aprender a lidar com isso.”

Jota Mombaça vem do Brasil, onde começou a desenvolver práticas da escrita, das artes performativas que refletem a sua racialidade, desobediência de género e as violências a que estas posições estão associadas.

Anúncios

Áudio 166 – Lugar de Fala e Relações de Poder com Jota Mombaça (Parte I)

“Eu me coloco como atitivista do lugar de fala, como uma pessoa que acredita e aposta no lugar de fala como uma ferramenta política importante nesse momento da história. (…) O lugar de fala não é estático.”

Jota Mombaça vem do Brasil, onde começou a desenvolver práticas da escrita, das artes performativas que refletem a sua racialidade, desobediência de género  e as violências a que estas posições estão associadas.

Esta entrevista divide-se em duas partes e na próxima semana (26 de outubro 2017) continuamos com a reflexão sobre as valências do conceito de Lugar de Fala e as dinâmicas das relações de poder, sempre considerando a violência presente nestas relações e posicionamentos.