Regresso do Afrotela com Welket Bungué

Afrotela é um projeto da Afrolis – Associação Cultural onde olhamos para afrodescendentes na tela e discutimos as representações disponíveis das nossas comunidades. As primeiras duas sessões foram no mês de outubro de 2016 com filmes que retravavam afrolisboetas e para as quais foram convidados participantes dos filmes para debater as temáticas tratadas. A partir de novembro de 2016 até março de 2017, criou-se uma parceria com a produtora Nega Filmes Produções que passou a fazer a curadoria das sessões e a dirigir os debates que se seguiam ao visionamento dos filmes. As sessões passaram a ser mensais e feitas em dois locais por mês, uma vez no centro de Lisboa (Casa Mocambo) e outra na Cova da Moura (Tabacaria Tropical). Para a temporada de 2019, a Afrolis convida o ator e realizador Welket Bungué a retomar o projeto fazendo a curadoria das sessões cinematográficas que serão feitas em ambiente intimista com uma regularidade mensal.

A sessão de abertura será no dia 13 de dezembro com a exibição dos filmes ‘Soulleimane’, de Paulo Pancadas e ‘Terra Amarela’, de Dinis M. Costa, pelas 21:30, na Casa Mocambo (evento gratuito).

 

 

 

 

 

Programação completa AQUI

 

Acerca da Curadoria

Balanta e luso-guineense, Welket Bungué, nasce em Xitole (Guiné-Bissau) a 7 de fevereiro de 1988. Welket iniciou a sua formação artística em 2005. É licenciado em Teatro no ramo de Atores (ESTC/Lisboa) e pós-graduado em Performance (UniRio/RJ). É Membro Permanente da Academia Portuguesa de Cinema desde 2015, Em 2012 foi distinguido com “Prémio de Melhor Ator” pela sua interpretação em MÜTTER, realizou as curtas-metragens MENSAGEM,WOODGREEN e BASTIEN no qual foi distinguido pelo ‘Prémio de Melhor Ator’ nos prémios Shortcutz 2017. É também locutor para entidades internacionais, desenvolve Escrita Dramática, Argumento de Cinema, Performances e Teatro. Atualmente vive entre o Rio de Janeiro e Berlim.

Apresentação: CARLOS KANGOMA

Carlos KangomaCarlos Kangoma aka Lucy é músico e produtor executivo do programa Ecos Urbanos. Natural de Angola, nascido a 29 de outubro de 1984. Mudou-se para Portugal em 1987 devido ao flagelo da guerra. Vive a sua infância na região da Venda do Pinheiro e aos 12 anos vai para Odivelas e conhece o rap. Formou o grupo Mentes Criminosas e editou o primeiro álbum em 2009 intitulado ‘Cara ou Coroa’, nessa altura concilia os concertos com o curso de Línguas, Literaturas e Culturas da faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Passados 3 anos de digressão, forma juntamente com alguns músicos de Odivelas um novo colectivo intitulado Odc Gang e lança o seu segundo trabalho colectivo intitulado ‘Escumalha’, nessa altura concilia a segunda digressão com o curso profissional de Microbiologia Alimentar no CFPSA. Em 2016 finalmente lança o seu primeiro trabalho a solo intitulado ‘Uma História Para Contar’. Após o lançamento do álbum, decide embarcar na produção de um programa cultural ( ecos urbanos) , com o intuito de divulgar artistas e organizações num cenário mais intimista e formato casual. Neste momento já vai lançar o seu 2 álbum a solo intitulado ‘Primeiro Capítulo’ enquanto vai dando espetáculos a nível nacional e internacional.

 

Anúncios