Áudio 29 – Plataforma Cafuka ocupa Martim Moniz com arte

[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/tracks/174505413″ params=”auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false&visual=true” width=”100%” height=”300″ iframe=”true” /]

Cafuca, significa, no contexto cultural santomense, candeeiro, feito normalmente de vidro, lata ou de uma outra folha metálica, para gerar luz através de petróleo ou óleo da palma e torcida de tecido ou fibras de algodão. Esta é, mais ou menos, a descrição que está no site da plataforma Cafuka. Em São Tomé e Príncipe Cafuca é um candeeiro, aqui em Lisboa Cafuka é uma associação cultural também está a dar luz a um dos locais mais interculturais de Lisboa o Martim Moniz mas com tintas. O meu convidado de hoje é Ismael Sequeira um dos mentores da associação Cafuka.

10696450_885905644766590_7720665393156604714_n
Artistas da Plataforma Cafuka em frente a um dos painéis do Projeto Integração Urb14 no Mercado da Fusão – Martim Moniz (esq. p/ dt: Alex-Keller Fonseca, Ismael Sequeira, Dio Lima, Estanislau Neto)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *