Áudio 30 – Mamadou Ba Descreve Relação Entre Cultura E Racismo (Parte I)

[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/tracks/175607850″ params=”auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false&visual=true” width=”100%” height=”450″ iframe=”true” /]

Mamadou Ba, diz-se uma pessoa como outra qualquer. Nasceu no Senegal, vive há 17 anos em Portugal e é ativista do SOS Racismo. Vamos falar sobre Cultura e Racismo  – tema da Agenda de 2015 da organização anti-racista, lançada no início de Novembro aqui em Lisboa. Mamadou Ba problematiza a herança de grandes pensadores para a luta anti-racista. Um exemplo é o excerto da obra Observações sobre o sentimento do belo e do sublime de 1764 do filósofo alemão Immanuel Kant:

“Os negros da África não possuem, por natureza, nenhum sentimento que se eleve acima do ridículo. O senhor Hume desafia qualquer um a citar um único exemplo em que um Negro tenha mostrado talentos, e afirma: dentre os milhões de pretos que foram deportados de seus países, não obstante muitos deles terem sido postos em liberdade, não se encontrou um único sequer que apresentasse algo grandioso na arte ou na ciência, ou em qualquer outra aptidão; já entre os brancos, constantemente arrojam-se aqueles que, saídos da plebe mais baixa, adquirem no mundo certo prestígio, por força de dons excelentes. Tão essencial é a diferença entre essas duas raças humanas, que parece ser tão grande em relação às capacidades mentais quanto à diferença de cores.”

0 comentário em “Áudio 30 – Mamadou Ba Descreve Relação Entre Cultura E Racismo (Parte I)”

  1. A mediocridade consegue disfarçar-se de muita sofisticação. É pena que quando se aprende nas escolas e universidades sobre este (e outros) filósofo racista, tal facto não seja mencionado. O trabalho de Mamadou Ba e de muitos outros dedicados à causa anti-racista é que pode fazer a diferença. De resto, o poder político, quando intervêm nesta questão, pouco ou nada faz.

  2. A mediocridade consegue disfarçar-se de sofisticação. É espantoso. Nas escolas não aprendemos sobre o lado racista dos “nobres” pensadores europeus…

Deixe um comentário para Silvia Mendes Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Redimensionar Fonte
Contraste