Áudio 56 – “Não defender o crioulo de Cabo Verde é dar um tiro no pé”, diz Marciano Moreira

[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/tracks/204295253″ params=”auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false&visual=true” width=”100%” height=”300″ iframe=”true” /]

Hoje temos um programa feito em colaboração com o RA_TEKNOLOJIA Cabo Verde (RA significa Ritmos Afrocentricos). O RA_TEKNOLOJIA Cabo Verde é um veículo educativo e cultural, cujo foco é o ensino do colectivo, proporcionando momentos de reflexão e pedagogia sobre culturas africanas através da Rádio, ao som dos ritmos ancestrais. Desta vez o convidado é o Dr. Marciano Moreira que luta, desde finais de 2007, em prol da língua cabo-verdiana. O objetivo é defender o alfabeto cabo-verdiano, oficializado em 2009, deixando para trás o ALUPEC (Alfabeto Unificado Cabo-Verdiano Alfabeto Unificado para a Escrita da Língua Cabo-verdiana) que, segundo o Marciano Moreira, não é uma designação clara para a maior parte das pessoas. Vamos, então, ouvir este linguísta cabo-verdiano que é também o inspetor principal de finanças e mestre em economia, em Cabo Vede, numa entrevista conduzida por Abraão Rodrigues da RA_TEKNOLOJIA Cabo Verde, na cidade da Praia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *