Áudio 152 – Allen Halloween sobre a sua arte de fazer o Rap

(Foto: Herberto Smith)

“O Rap é a minha ferramenta para eu me comunicar com o mundo.” Allen Pires Sanhá ou Halloween nasceu na Guiné-Bissau mas o Rap que faz nasceu em Lisboa. Na sua música fala sobre a vida transformando a realidade em arte. O seu compromisso é com a transmissão de mensagens que reflitam o que realmente pensa.

 

 

Anúncios

Áudio 148 – Campanha “Por outra lei da nacionalidade”

Associações e coletivos como o Consciência Negra, Moinho da Juventude, Solidariedade Imigrante e Olho Vivo  estão a organizar e falam sobre o evento cultural “Por Outra Lei da Nacionalidade”, a realizar-se no dia 18 de março, entre as 15h e as 20h no Largo de S. Domingos, no Rossio. Dança, teatro, capoeira e intervenções marcarão o evento que visa dar visibilidade às injustiças para com os/as filhos/as de imigrantes nascidos em território nacional ,que não são reconhecidos como portugueses em seu próprio país. A palavra de ordem: QUEM NASCE EM PORTUGAL É PORTUGUÊS, PONTO FINAL !!!

Para apoiar esta causa assinem a petição online  AQUI ou em papel no dia 18 de março, no Largo de S. Domingos!

Nós, da Afrolis, já assinámos!

 

Áudio 142 – Tirso Sitoe Sobre Rap E Política Do Afeto – Maputo

Mais uma semana com uma entrevista a partir de Maputo. Desta vez, o nosso entrevistado é Tirso Sitoe, antropólogo e investigador do centro Kaleidoscopio, que tem feito investigação em áreas relacionadas com políticas públicas e cultura. O centro da sua pesquisa envolve a análise da música e dos fazedores de rap (música de crítica e protesto social) em Maputo/Moçambique.

Áudio 140 – Festival Musidanças Apresentado Por Firmino Pascoal

Festival Musidanças cumpre, em setembro de 2017, 17 anos. A sua missão  é dar a conhecer músicos de países em que se fala português. A entrevista de hoje é com Firmino Pascoal, músico, produtor e artista plástico de origem angolana e impulsionador do festival.
Atualmente a promoção do Festival Musidanças tem sido feita:
– semanalmente, através do Musidanças – Encontro da Lusofonia;
– mensalmente através do Musidanças – World Sessions

Áudio 136 – Primeira Edição da Feira Afro na Crew Hassan

Feira Afro: “Esta iniciativa tem como objetivos principais contribuir para a promoção, valorização das culturas e artes africanas feitas também por afrodescendentes, dando visibilidade aos trabalhos das/os criadoras/es de várias disciplinas, num processo de pontes que permitam uma ampla e saudável vivência com respeito entre os mesmos e mais cidadãos do mundo tudo num ambiente harmonioso de uma feira o que proporciona oportunidade de trocas, vendas e descobertas.” É assim que os organizadores da Feira Afro apresentam este espaço de trocas culturais. Aqui, na Afrolis, quem fala mais sobre a iniciativa é Alexandre Yewa, membro da chamada Afro Crew e do Coletivo kilomboewa.

No final da Feira Afro, ainda se pode assistir ao concerto do Afroroots com Klement Tsamba, que também estará no espaço Crew Hassan na noite de 23 de dezembro.

Gravação feita através do Skype