Nós Nos Livros

Em “Nós Nos Livros” apresentamos sugestões pessoais de livros que nos ensinam algo sobre vivências africanas e negras.  

Pergunta: – O que fazer “Quando a maior parte dos livros já não serve para ensinar”?

Resposta: – Produzir outros que sirvam e valorizar os que servem!

Participem! Vamos construir a nossa “biblioteca”!

Escrevam sugestões de livros para: radioafrolis@gmail.com

A ideia é dizer “Eu acho importante ler este livro porque…”

 

Sugestão de leitura 9: Génocidé, de Révérien Rurangwa-Muzigura

genocidé livroEnquanto africano que aspira ao renascimento da África e à expurgação de todas as feridas que desde a escravatura vêm debilitando e amputando esse processo, conhecer a história e cultivar a memória, por mais perturbantes que sejam certos episódios, revela-se urgente e necessário. O genocídio do Ruanda foi… Continuar a ler

 

 

 

Sugestão de leitura 9: A Cor em Mim: a identidade em reconstrução, de Cristina Carlos

Eu acho importante ler este livro porque…

a_cor_em_mimA Cor em Mim, de Cristina Carlos, é construído a partir de uma entrevista a uma única pessoa: José (nome fictício), “um jovem de vinte e quatro anos (…), que habita num dos bairros ‘problema’ da periferia de Lisboa» (p. 64), «escolheu ser cabo-verdiano» (p. 98), embora se declare um «sem terra», «nómada… à procura de um sítio para estar». Continuar a ler

 

 

 

 

Sugestão de leitura 8: Americanah, de Chimamanda Adichie

Eu acho importante ler este livro porque…

Americanah

 

Recomendo este livro pela forma que ele me conhece e retrata como uma jovem africana, muitas vezes em situações que me colocam em conflito com a(s) minha(s) própria(s) identidade(s), num mundo em que a busca por um habitat saudável para o meu crescimento é difícil e desconfortável, não só para mim, mas para todos os que me rodeiam. Continuar a ler

 

 

 

Sugestão de leitura 7: “Sangue Negro” de Noémia de Souza

Eu acho importante ler este livro porque…

Snague NegroUm livro que me fez viajar sem sair do sítio foi: ” Sangue Negro ” de Noémia de Sousa, poeta moçambicana.
É um livro de poemas ou atrevo-me: é um livro de poesia.
Que assenta na realidade diária, tem uma forte expressão coloquial. Poesia de combate mas que ao mesmo nos traz intimidade, privacidade do quotidiano da autora. Nota-se nele o “modus vivendi” das pessoas que a cercavam e mais particularmente o meio envolvente. Continuar a ler

 

FullSizeRenderSugestão de leitura 6: “A minha empregada” de Maggie Gee

Eu acho importante ler este livro porque…

É um livro que procura retratar as relações raciais, culturais e afectivas que se estabelecem entre uma família inglesa londrina (Vanessa Henman, seu filho Justin e o pai deste Trevor) e a empregada ugandesa Mary Tendo, assim como o questionamento dos lugares-comuns e os pré-conceitos existentes. Li-o há alguns anos atrás e no final fiquei com uma vontade imensa de continuá-lo, agora por palavras minhas e com outras coordenadas, porque o livro trata de uma categoria profissional sobre a qual sempre quis escrever, que são as empregadas domésticas negras na Europa (…) Continuar a ler

 

 

O negro que quis viverSugestão de leitura 5: “Um Negro Que Quis Viver”, de Richard Wright

Eu acho importante ler este livro porque…

É um livro em que só o título diz tudo. Não só diz tudo, como, na minha opinião, diz muito a um/a jovem negro/a, visto que, ao longo de toda a história, o autor traz-nos as vivências de um jovem negro, que se assemelham às de tantos/as outros/as jovens negros/as desde a infância até à fase adulta, onde tudo o que esse ser deseja é viver, viver como um ser normal e não viver condicionado segundo regras, valores e pré-julgamentos. Continuar a ler

 

Sugestão de leitura 4: “Desejos de Aminata” de Lopito Feijóo

Eu acho importante ler este livro porque…

predadoresEu gosto do Pepetela, nasceu lá, viveu lá e foi por Angola que lutou quando podia ter escolhido fugir. Fala português de Angola com sotaque da banda e escreve Angola, oferecendo a quem estiver atento uma versão da história vivida desde antes da  independência aos nossos tempos.

“Predador” 

Animal que se alimenta atacando outros seres vivos para os matar e se alimentar da sua substância. Continuar a ler

 

 

Sugestão de leitura 3: “Desejos de Aminata” de Lopito Feijóo

Eu acho importante ler este livro porque…

Desejos AminataComo amante da poesia, penso ser um estímulo para fomentar o gosto por esta forma de arte literária. Não se trata de poesia revolucionária a exortar a emancipação nem a propaganda política.
Em “Desejos de Aminata”, o escritor angolano Lopito Feijóo apresenta uma coleção de 40 textos poéticos, diga-se intimista e com uma intensidade erótica, mas que valem pela doçura da escrita, pelo amor com que foram produzidos os poemas dedicados à sua mulher, Aminata, jornalista cultural da Rádio Nacional de Angola. Continuar a ler

 

Sugestão de leitura 2: Lisboa na Cidade Negra de Jean-Yves Loude

Eu acho importante ler este livro porque…

imagejean yves loudePorque na verdade se trata de uma obra singular de investigação sobre a LISBOA desconhecida ou apagada da memória colectiva e que é também um soberbo GUIA CULTURAL para a compreensão sociológica da actualidade. É um exercício de resgate da história de uma cidade cujas paredes e muros falam e que foi desde sempre cosmopolita e congregadora de diversas culturas, que foi também  durante séculos influenciada por África e pela presença dos Africanos. Continuar a ler

 

 

Sugestão de leitura 1: Na pó di Spera de Sónia Vaz Borges (2014)

Sonia

Eu acho importante ler este livro porque…

“Em Na pó di Spera, a autora Sónia Vaz Borges apresenta-nos possibilidades de relacionamento com “o bairro”, esse espaço que é do outro, que nos é periférico. Ao ir trabalhar para o Bairro de Santa Filomena, na Amadora, como técnica de um projeto social e mulher negra de origem cabo-verdiana, Sónia Vaz Borges entra num mundo que lhe é estranhamente familiar.” Continuar a ler

 

 

 

Quando os livros já não servem para ensinar Clicar para ler texto na integra

“A violência dentro do espaço escolar assume várias caras. Kambo Safiya não nega a violência de que se fala nos jornais e telivisão, mas não deixa de pensar na violência que lhe é atirada à cara todos os dias, nos livros que já deixaram de lhe ensinar alguma coisa, mas que é obrigada a carregar todos os dias para a escola, um espaço que sequer a reconhece como pessoa individual, herdeira de outra cultura, mas recusada pelo país estrangeiro.”

por Sónia Vaz Borges

Sobre a autora:

Portuguesa descendente de cabo-verdianos emigrados em Portugal desde a década de 1970, Sónia Vaz Borges é formada em História Moderna e Contemporânea – Política e Relações Internacionais pelo ISCTE, e mestrada em História d’África pela Faculdade de Letras de Lisboa.

Historiadora e activista, encontra-se actualmente a viver em Berlin, cidade que escolheu para realizar a sua tese de doutoramento na Universidade de Humboldt, com o tema “ A luta de Libertação enquanto prática educativa. O caso do PAIGC entre 1956-1974”.

 

 

 

 

 

 

 

Um comentário sobre “Nós Nos Livros

  1. Pingback: Nós Nos Livros 1: Quando os livros já não servem para ensinar |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s