Áudio 147 – A nova fase do Djidiu – a herança do ouvido

No programa de hoje vamos falar sobre a nova fase do projeto da Afrolis – Associação Cultural,  Djidiu – a herança do ouvido.  Ao longo de um ano um grupo de afrodescendentes juntou-se todas as quartas-feiras, na sede do Grupo de Teatro do Oprimido, para discutir diferentes temáticas e transformá-las em poesia e outros textos literários; ao último domingo de cada mês, apresentou em diferentes locais da cidade de Lisboa os textos produzidos,  que se referiam a diversos temas.  No mês de março o Djidiu completa um ano e, no dia 26 deste mês,  o projeto termina as suas sessões públicas no formato habitual. Mas não termina…. Vamos ouvir os Djidius (Carla Lima, Carlos Graça, Dário Sambo, Apolo de Carvalho, Carla Fernandes) sobre a experiência ao longo de um ano e sobre a nova fase.

Áudio 146 – Festival de narração oral Aqu’Alva Stória – Celebrando Culturas

Aqu’Alva Stória – Festival  realiza-se de 1 a 8 de Abril de 2017 e é o II°Encontro Internacional de Narração Oral da Lusofonia (Agualva-Cacém e Sintra).
As nossas convidadas são Licinia Ramos Horta, da Associação Uma Timor – Salurik, uma vez que Timor é o país convidado do festival, e Fernanda Fonseca e Castro, fotógrafa angolana apaixonada por Timor.

 

Áudio 145 – Espaço Gota D’Arte (Cabo Verde)

O Espaço Gota d’Arte é uma associação e espaço cultural que existe desde Janeiro de 2011 com sede na Praia, Achadinha, (Cabo Verde). O objectivo do espaço é fomentar nas crianças e jovens o gosto pelas artes e o seu desenvolvimento pessoal através da dança, música e representação.  O projecto tem como mentores a bailarina e coreógrafa Bety Fernandes e o percussionista angolano Fernando Carlos, Ndu. Hoje a conversa vai ser entre irmãos, Carla Fernandes e Ndu!

Sobre o Espaço Gota D’Arte

Mais infos:

Áudio 137 – Kombersu Di Amigus: desejo para 2017!
Áudio 37 – Programa de Natal com o “Olhar das Crianças”

 

Áudio 144- Dez anos de Rádio na On’Hipiti (Ilha de Moçambique)

A Rádio Comunitária On’Hipiti (RCO), na Ilha de Moçambique, na província de Nampula, região norte de Moçambique, faz esta quinta-feira (16 de fevereiro de 2017) 10 anos. A Rádio Comunitária com a frequência de 103.9 MHZ, transmite num raio de 50 Km, abrange todo o distrito da Ilha de Moçambique, distrito de Mossuril e seus postos administrativos.  A entrevista de hoje é com um dos seus membros fundadores, que ainda hoje, com a colaboração de voluntários, mantém as emissões da RCO, Jona Ali Mussa. Vamos conhecer esta rádio e o trabalho que desenvolve há 10 anos.  

Áudio 143 – Sobre Identidades: Sobre A Descendência Do Rei Gungunhana E Do Rei D. Carlos I

Yara Costa Pereira é moçambicana, realizadora e, de momento, realiza um filme que trata a questão da identidade, a partir da descendência de duas figuras que refletem tempos marcantes da História de Moçambique e de Portugal: o rei Gungunhana e o rei D. Carlos I.
Segundo Yara Costa Pereira, “Os dois [descendentes dos reis] são consequências contemporâneas de um passado colonial comum.” (Ilha de Moçambique)

Documentário de Yara Costa Pereira: Os Desterrados

yara-costa-pereira

 

Continuar lendo

Áudio 142 – Tirso Sitoe Sobre Rap E Política Do Afeto – Maputo

Mais uma semana com uma entrevista a partir de Maputo. Desta vez, o nosso entrevistado é Tirso Sitoe, antropólogo e investigador do centro Kaleidoscopio, que tem feito investigação em áreas relacionadas com políticas públicas e cultura. O centro da sua pesquisa envolve a análise da música e dos fazedores de rap (música de crítica e protesto social) em Maputo/Moçambique.

Áudio 141 – Escreve Eliana, Escreve, Por Eliana Nzualo

“Eu escrevo coisas. Quero ser uma escritora diversificada, trabalhando temas como feminismo, neo-colonialismo e política internacional, na forma de prosa e poesia.” É assim que Eliana Nzualo se apresenta no seu blogue Escreve Eliana, Escreve. Esta semana, falamos sobre inspiração e prática com Eliana a partir de Maputo!

 

Artigos mencionados na entrevista:

Titulo: Para entender o Feminismo em África

“Há um distanciamento ideológico dos africanos face ao Feminismo devido a uma falsa ideia de tradição e um desconhecimento da nossa História pré-colonial.

Sempre fico um pouco triste quando converso com pessoas e percebo o seu desconforto em falar de feminismo ou assumirem-se feministas (…)” Continuar a ler

Titulo: O que diria Lumumba sobre o EURO?

“Lumumba foi um dos fundadores do Movimento Nacional Congolês (MNC). Acreditava veemente na independência total e inalienável do Congo e na capacidade do povo congolês de gerir as suas infraestruturas, pessoas e sobretudo recursos. (…) Hoje, em 2016, assistimos a mais uma edição do Euro: a maior festa de futebol da Europa. Este ano em França como foi também em 1960, na primeira edição. O que é que a História do revolucionário congolês tem a ver com o maior espetáculo de futebol da Europa?” Continuar a ler