Especial Rotas & Rituais 2015

programa Rotas e rituaisO Rotas & Rituais 2015 convida-nos a refletir sobre o significado das independências dos nossos países, subjugados ao domínio português: Angola, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Moçambique e São Tomé  e Princípe. Passaram-se 40 anos mas estas independências ainda não são plenas e as lutas para as alcançar ganham novas formas. É este percurso que vai ser discutido em conferências, observado em filmes, questionado e festejado com música.

A AfroLis vai acompanhar e documentar o Rotas & Rituais 2015 a decorrer no Cinema S. Jorge de 22 a 29 de maio. A organização é da EGEAC, empresa municipal da cidade de Lisboa responsável pela Gestão de Equipamentos e Animação Cultural.

Dia 29

Os Tubarões apresentados por Mário Bettencourt (ver artigo)

Dia 28

Ghorwane no Rotas & Rituais, apresentado por Roberto Chitsondzo (ver artigo)

Dia 27

Nástio Mosquito No Rotas & Rituais (ver artigo)

“Brothers e sisters, vamos nos pôr a caminho! E no caminho, tenho a certeza que vamos descobrir soluções, parceiros, companheiros, colegas, amigos, colaboradores e sócios que nos vão ajudar a construir esse sonho, e a materializar as coisas que circulam na nossa cabeça à noite e nós não contamos a ninguém.”

 

Dia 24

Entrevista com Realizadora Ike Bertels sobre o filme “Guerrilla Grannies”

“É a história de três mulheres da guerrilha que vi num filme quando eu própria era muito jovem. Tinha visto, por acaso, um filme sobre uma guerra de guerrilha em Moçambique e a maior parte desses filmes de guerra eram sobre homens que libertaram o país e neste filme havia três mulheres sentadas no mato com as suas espingardas (…)” Ler mais

 

Conferencia “Como fazer futuro hoje”

General D foi convidado a trazer novas vozes de afrodescendentes para falar sobre novos desafios daquelas comunidades.

 

Dia 23

No dia da inauguração da exposição “Filhos do Vento” (22-29 de maio 2015) com fotos de Manuel Roberto, a AfroLis quis saber a opinião dos visitantes. As imagens são da sua autoria e fazem parte de duas reportagens inéditas divulgadas pelo jornal Público, da autoria de Catarina Gomes e imagens-vídeo de Ricardo Rezende.

O que dizem os visitantes do Rotas & Rituais sobre a exposição “Os Filhos do Vento”?

 

Dia 22 de Maio

20150521-_MG_9590

Clicar para ouvir – Entrevista: Manuel Roberto é de origem moçambicana e é fotojornalista do jornal Público. No Rotas & Rituais, apresenta a exposição “Filhos do Vento” (22-29 de maio 2015). As imagens são da sua autoria e fazem parte de duas reportagens inéditas divulgadas pelo jornal Público, da autoria de Catarina Gomes e imagens-vídeo de Ricardo Rezende.

ecards-convite

Logo Rotas RituaisClicar para ouvir –  Áudio 58 – Rotas e Rituais: 40 anos de independências africanas cá e lá 

Entrevista com Paula Nunes, programadora do Festival Rotas e Rituais onde as questões que se levantam trazem uma reflexão sobre o que representa o colonialismo hoje e problematizam a construção de um futuro comum a partir desse passado. “Labanta braço, grita bô liberdadi” (Levanta o braço, grita a tua liberdade) é o mote do Ritos e Rituais 2015.

Anúncios

Áudio 58 – Rotas e Rituais: 40 anos de independências africanas cá e lá

Paula Nunes é a programadora do Festival Rotas e Rituais que decorre entre 22 e 29 de maio. As questões que levanta trazem uma reflexão sobre o que representa o colonialismo hoje e problematizam a construção de um futuro comum a partir desse passado. “Labanta braço, grita bô liberdadi” (Levanta o braço, grita a tua liberdade) é o mote do Ritos e Rituais 2015. Este festival é organizado pela EGEAC, empresa municipal da cidade de Lisboa responsável pela Gestão de Equipamentos e Animação Cultural.

programa Rotas e rituais

Áudio 1 – Media e estereótipos raciais

Elisabete Cátia Suzana

Elisabete Cátia Suzana

Os media contribuem tanto para a construção como para a desconstrução de estereótipos raciais. Esta é a conclusão a que especialistas na área de estudos de raça como Grada Kilomba da Universidade de Humboldt (Berlim/Alemanha) e Elisabete Cátia Suzana da Universidade de Uppsala (Suécia) chegaram. Ambas são afrodescendentes nascidas em Lisboa. Neste primeiro programa vamos ouvir a tradução de uma entrevista de Grada Kilomba e os comentários de Elisabete Cátia Suzana, insvestigadora na área de estudos de religião e branquitude sobre o papel dos media, dos negros e dos brancos na luta contra o racismo.  Acompanhem-nos!